DESAFIO DA MATERNIDADE

Oi meninas,

Eu confesso que queria ter feito esse desafio da maternidade lançado nas redes sociais, mas ninguém me desafiou (Snif snif), mas vi duas pessoas colocando opiniões diferentes e serem linchadas, massacradas como péssimas mães e que elas deveriam ter fechado as pernas! Ãh?!

O que os desafios me mostraram?? O que eles realmente significam??

Como disse uma amiga das redes sociais, “o mundo só está preparado para a propaganda de margarina e não de mertiolate. Se você emite sua opinião vem trocentas pedras em tudo.” Por favor eu insisto, mais amor por favor, lutemos por UM MUNDO MAIS LEVE e pela liberdade de expressão!! Click aqui para ver a campanha lançada por mim.

A verdade é que ninguém nasce pronto para ser pai ou mãe. Isso será desenvolvido a cada desafio e a cada conquista alcançada! Aprende-se a a amar as crias no momentos difíceis, apesar do amor existir desde o ventre. Mas tem muitos pais e mães que se arrependem de terem tido filhos, as vezes por abrirem mão de uma vida anterior aos filhos. Mas o arrependimento, muitas vezes, não implica em não amar os filhos. Essa angústia velada é mais comum do que se imagina. Não se envergonhe em procurar apoio se esta é uma questão de conflito, e gerador de sofrimento interno. Reconhecer o que se sente, é um primeiro passo para lidar com os sentimentos envolvidos.

Mas nem sempre a tristeza do pós-parto é depressão, pode ser apenas cansaço ou falta de sono reparador. E as vezes essa imensa tristeza pode ser depressão. Cabe um médico dizer e não outra pessoa que não tenha essa capacidade. Então fiquem de olho mãezinhas!? Procurem ajuda se necessário?! E aos amigos e parentes, eu digo que tenham calma e critiquem menos!

E eu falo que eu super concordo com a opinião dessas duas mães, elas simplesmente colocaram pra fora as suas angustias….. Isso é errado? Não estou questionando o que disseram, é opinião delas!

Eu amo minhas filhas, me descobri uma verdadeira mãezona, mas tem horas que eu quero sumir e voltar a minha vida de antes-mãe! Isso não quer dizer que eu não as ame! Elas são TUDO para mim! Tento ser a melhor mãe para elas, mas as vezes eu falho…não sou perfeita e luto internamente para não me cobrar em ser.

Minha gravidez não é de Deus não. E antes que você me julgue por falar isso, vou explicar o porquê: eu passo mal horrores, com enjoos, ânsias e vômitos durantes os nove meses inteiros, cheguei a perder 5 quilos em apenas um mês na gestação da Laura, fiquei internada três vezes para hidratação. Então eu te digo, é muito amor aguentar isso e outras complicações típicas da gravidez! Eu não planejei a Bianca e desejei a Laura por 9 meses até ela vir! Então só porque eu piro de vez em quando eu deveria ter fechado as pernas?! Só porque as vezes eu canso da rotina, do choro, da birra, eu sou uma péssima mãe?!

Vou lembrá-los da historia de Maria Madalena, se Jesus não a julgou, por que nós julgamos tudo, todos e a todo momento!

As pessoas não te contam as coisas ruins da maternidade. A verdade é que o lado sombrio dela é amplamente escondido, ninguém quer falar sobre ele. Mas tenha bom senso…. Os partos, normal e cesária, podem ser difíceis do mesmo jeito. A amamentação pode ser tortura ou um mar de rosas. O seu bebê pode ser calmo ou difícil. Você pode ter apoio ou fazer tudo sozinha. Você pode amar e ficar triste ao mesmo tempo. Isso não ocorre com a maternidade, mas com tudo na vida!

 

Mas onde eu quero chegar com toda essa história?

Eu só queria mostrar que:

  • Existe sim uma dualidade dentro de nós;
  • Precisamos aceitar que todos os aspectos do nosso ser têm um lado benéfico (até o lado mais sombrio);
  • Todas as emoções e características que possuímos nos mostram um caminho do  esclarecimento e da unicidade (basta usarmos o livre-arbítrio com sabedoria);

 

E finalizo meu devaneio com uma frase…. “Ela tinha um nojo da dualidade de intenções dos seres humanos que ora amam, ora usam, e preferia a clareza da sacanagem e a certeza do vazio.”

Tati Bernardi

1 2 3 4 5 6

Imagens da ilustradora escocesa Lucy Scott que registrou de forma divertida os momentos do primeiro ano de vida da maternidade no livro “Doodle Diary of a New Mom”.

 

 

Se gostou, dê um like e compartilhe essa ideia…e se você tem alguma dica de texto por favor comente e vamos conversar.

 

Tags :
Voltar ao artigo anterior
Ir ao próximo artigo

Sobre Vanessa Almeida Moyses

Oi meninas, sou a Vanessa, Mãe de duas princesas, Bianca com 3 anos e Laura com 5 meses, alem disso sou dona de casa, professora escolar e blogueira. Tenho diversos hobbys, o que mais me realiza é ser mãe em tempo integral e descobrir como realizar as tarefas de maneira mais fácil e didático possível em benefício das minhas meninas.

Deixe uma Resposta

Prometemos não incomodar.
Os campos com * são obrigatórios.

*

Voltar ao Topo