OVÁRIOS POLICÍSTICOS SERÁ QUE É MESMO UM PROBLEMA (história)

Oi meninas,

Outro dia recebi essa linda história que me emocionou bastante, da Jessika Andrade, dona de casa e membro do grupo de Mães de Brasília. Vou repassar seu relato para que possamos ver uma luz no fim do túnel para que recebeu o diagnóstico de ovário policístico (é um distúrbio que interfere no processo normal de ovulação em virtude de um desequilíbrio hormonal. leva à formação de cistos e dificulta uma possível gravidez).

“Olá, Meu é Jessika tenho 27 anos, sou casada. Aos meus 14 anos de idade tive um hemorragia gravíssima, fui parar no hospital onde foi descoberto, depois de alguns exames que tinha algum problema nos ovários, mas fui medicada e recebi alta. Na mesma semana marquei um consulta com medica da família que é ginecologista, ela me pediu vários exames e quando o resultado ficou pronto foi que aquele problema advinha de ovários policísticos. A medica na mesma hora virou pra mim e disse que nunca poderia ser mãe. Eu ainda não tinha experiência sexual  e nem namorado, mas sai do consultório acabada pois sempre desde de muito nova me imaginava sendo mãe.

Procurei outros médicos e ouvi a mesma coisa de todos eles, então eu acabei aceitando que isso seria o meu destino. No entanto aos 15 eu conheci meu atual marido, foi uma amor a primeira vista. Ficamos no mesmo dia em que nos conhecemos e nesse mesmo dia ele já me pediu em namoro. Namoramos por seis anos em um relacionamento lindo ate que decidimos nos casar. Até esse momento eu nunca tinha falado pra ele que não podia ter filhos, ele ficou muito triste e arrasado mas disse que estaria ao meu lado, que acharíamos um tratamento, Durante os preparativos do nosso casamento minha prima de 15 anos engravidou, eu entrei em estado de choque, me perguntava o porque que ela com 15 seria mãe e eu que queria tanto não podia engravidar.

Fiquei em depressão parei de ver as coisas do casamento e tudo que fazia era obrigada, foi quando minha prima me chamou pra ser madrinha da filha e eu aceitei e nesse momento eu acabei conseguindo sair daquela depressão. Me casei com o homem mais perfeito do mundo, mais nem tudo era flores, um mês depois do meu casamento minha irmã de 17 anos anunciou a gravidez, sim anunciou porque ela já estava gravida de 5 meses e estava escondendo da família toda.

Quando recebi a notícia eu não consegui segurar as lágrimas, logo depois da minha irmã mais duas pessoas próximas engravidaram e eu não tive forças acabei entrando em depressão novamente. Me questionava com Deus por que eu não podia engravidar? Por que justo eu que queria tanto ser mãe não conseguia ser? Eu não aceitava passar por aquilo e meu marido não aguentou ver todo o meu sofrimento. foi atrás do melhor médico de Brasília para poder fazer algum tratamento. Ele só queria me ajudar a realizar esse sonho, acabou achando um ótimo médico, marcou um consulta, mas o médico era tão cheio que a consulta seria depois de 3 meses.

Logo depois disso, nos mudamos para um apartamento maior e com dois meses de casa nova, comecei a sentir coisas estranhas, vi que não tinha menstruado, foi quando resolvi fazer um teste de farmácia de gravidez. Estava tão ansiosa pra fazer esse teste que acordei horas antes de sair pro trabalho, fiz o teste, esperei 5 min, olhei estava negativo, então eu coloquei o teste na pia e fui banhar e chorar. Me arrumei toda pra o trabalho foi quando lembrei que o teste estava na pia, fui pegar para jogar no lixo e quando olhei tinha duas listras, positivo. Fiquei louca de felicidade liguei pro meu marido, falei que estava grávida e ele como assim não acreditou.

Mesmo sabendo que o resultado poderia esta errado liguei pra toda família, a felicidade era demais, e depois dessa euforia resolvi confirmar, fazendo o teste de sangue. Fui na emergência do hospital, fiz o de sangue, que graças a Deus deu positivo, foi quando eu eu não aguentei, chorava de tanta felicidade. Mas logo em seguida veio a bomba, com sete semanas de gestação, um dia depois de confirmar a gravidez com o exame de sangue, tive uma hemorragia, fui parar no hospital. Fui examinada pelo médico que pediu uma ecografia e o resultado dela foi que estava com descolamento de placenta.

O médico virou pra mim e disse que não teria o bebê, que seria impossível aquela criança nascer, que se eu quisesse mesmo seguir com a gravidez deveria tentar ficar de repouso absoluto e só fazer o movimento dos olhos. Meu chão na hora se abriu e eu só pedia pra Deus deixar eu ser mãe daquele bebê lindo. Eu morava em um apartamento que não tinha elevador, então logo que sai do hospital fui direto pra casa da minha mãe, pedi demissão do meu emprego e decidi ficar de repouso absoluto e fazer só o movimento dos olhos com o médico disse que eu poderia fazer.

Achei um excelente obstetra que nos primeiros dias foi ate a minha casa me consultar, ele confirmou que realmente só repouso poderia fazer aquele bebê nascer, e assim eu fiz, fiquei de repouso absoluto na cama durante 6 meses da minha gestação. Só depois o medico me liberou para algumas atividades que durou apenas um mês. Com oito meses fiquei de repouso absoluto novamente pra que eu pudesse chegar ate 38 semanas e fazer o parto cesariana agendado, porque não podia nem entrar em trabalho de parto.

Também aos oito meses me deu alergia que poderia matar minha filha se eu não tratasse, ela acabou nascendo com 38 semanas as 08:40. Eu não a vi logo que saiu da minha barriga pois ela teve que ir direto para os pediatras, em virtude da alergia que eu tive ter passado para ela já no final da gravidez. Ate que minha mãe como minha acompanhante veio e disse “sua filha esta bem e linda”.

pregnant-690735_1280Quando a peguei no colo pela primeira vez eu não consegui parar de chorar, tudo o que eu queria estava ali, agradeci tanto a Deus por me dar a flor linda que é minha filha que hoje tem 2 anos e dois meses. Estou grávida outra vez de outra menina linda que Deus mandou para que eu cuidasse, mas quando olho pra trás e lembro tudo que ouvi de todos os médicos, eu fico aliviada porque o meu diagnóstico foi equivocado e errado. Hoje estou aqui com meu milagre que se chama Maria Eduarda e com minha princesa que vai nascer em dezembro a Maria Clara. Sou muito feliz pelas minhas filhas e te digo eu nasci pra ser mãe, eu amo ser mãe passaria e faria tudo de novo por elas.”

 

Se gostou, dê um like e compartilhe essa ideia…e se você tem alguma história para compartilhar, por favor entre em contato e vamos conversar.

Tags :
Voltar ao artigo anterior
Ir ao próximo artigo

Sobre Vanessa Almeida Moyses

Oi meninas, sou a Vanessa, Mãe de duas princesas, Bianca com 3 anos e Laura com 5 meses, alem disso sou dona de casa, professora escolar e blogueira. Tenho diversos hobbys, o que mais me realiza é ser mãe em tempo integral e descobrir como realizar as tarefas de maneira mais fácil e didático possível em benefício das minhas meninas.

Deixe uma Resposta

Prometemos não incomodar.
Os campos com * são obrigatórios.

*

Voltar ao Topo